Viajando para Cusco Peru

Peru é um país que se destaca por ser a melhor capital gastronômica da América Latina. Chefs estrelados como Virgilio Martínez do restaurante Central, eleito o 5o melhor restaurante do mundo, Mitsuharu Tsumura do restaurante Maido que ocupa o 8o lugar no ranking, o chef Gastón Acurio com 3 estrelas Michelin e muitos restaurantes distribuídos pelo país, e tantos outros que se destacam, dão um show de sabor, equilíbrio e apresentação quando sentamos às suas mesas.

Mas além da gastronomia, o Peru é riquíssimo em história e oferece uma variedade de atrações turísticas que vão além de Machu Picchu. Durante nossa viagem, nós conhecemos Lima e Cusco, mas ainda existe uma infinidade de cidades interessantes, como Arequipa e Pisac, por exemplo.

Cusco é uma cidade montanhosa, localizada no meio da Cordilheira dos Andes a 3.400 metros acima do nível do mar e uma temperatura que varia de 0 a 25 graus ao longo do ano. Consequentemente, sua culinária é especializada em animais da região como o famoso cuy (porquinho da índia), carne de lhama e alpaca. Apesar das invasões e terremotos, Cusco manteve seu legado de monumentos incas e espanhóis, se destacando como o destino turístico mais visitado do país.

Temperatura

Como comentei acima, a temperatura de Cusco ao longo do ano varia de 0 graus a 25 graus.

A época mais indicada para visitar a cidade é de março até setembro, onde o clima é menos chuvoso. Mas adivinhem? Fui para Cusco final de abril e peguei 2 dias de chuva extensa e claro, muito frio.

Importante mencionar que Machu Picchu está abaixo do nível de Cusco, por isso, tende ser mais quente.

Como chegar

Para chegar em Cusco você obrigatoriamente precisa fazer escala em Lima. Existem diversas companhias que fazem os trechos. Nós fomos de LATAM e foi tudo certo.

A viagem dura 5 horas de São Paulo até Lima, e mais 1 hora 30 até Cusco. Nossa escala estava programada para 4 horas após nossa chegada, e como ocorreu tudo no horário, conseguimos adiantar nosso vôo.

Hospedagem

Um bom hotel em Cusco é muito importante devido o mal-estar que a altitude elevada pode causar. A maioria dos hotéis possuem oxigenação nos quartos, para evitar os sintomas decorrentes do ar rarefeito. Ainda assim, um hotel com conforto térmico e boa localização é essencial. Eu já adianto, apesar de ter ficado um pouco ofegante, eu não passei mal com a altitude. Não tive problema nenhum com isso. Apenas, 1 tacinha de vinho me deixou zonza rss cuidado com a bebida alcóolica.

Belmond Hotel Monasterio

O hotel fica dentro de um antigo mosteiro em uma arquitetura encantadora e serviço impecável da rede Belmond. Localizado próximo a Praça das Armas, o principal centro histórico de Cusco.

O valor da diária em abril/2017 estava em torno de 1.700 reais.

JW Marriott El Convento

Nós ficamos hospedados nesse hotel. O hotel ocupa um antigo convento que sofreu processo de restauração para manter as características originais após um grande terremoto na cidade. Achei muito confortável, camas deliciosas, quarto amplo e ótimo atendimento, além de um jardim lindo e um restaurante com pratos deliciosos. Também fica próximo ao centro histórico de Cusco, que aliás, é localização obrigatória na cidade.

O valor da diária em abril/2017 estava em torno de 800 reais.

Belmond Palacio Nazarenas

Esse é um outro hotel bem recomendado em Cusco e super luxuoso. O espaço de socialização é lindo Na época da minha viagem, o preço dele estava nas alturas e não compensava o investimento. O valor da diária em abril/2017 estava 1.000 reais.

Moeda

A moeda no Peru é o Soles. O Soles em abril/2017 estava praticamente 1 x 1 com o real.

Para chegar em Cusco você necessariamente precisa fazer escala em Lima, por isso, sugiro trocar real ou dólar por Soles logo no aeroporto em Lima. A diferença é tão pequena que o conforto vale a pena.

Ao lado da esteira de bagagens tem uma cabine para fazer a troca.

Muitos sites indicavam levar dólar, dizendo que não trocavam real. Mas estavam errados. Se quiser, você pode levar real é trocar por soles no aeroporto tranquilamente. Inclusive várias pessoas do nosso vôo fizeram isso.

A única diferença é que você consegue pagar shoppings e restaurantes com dólar. Já real não, você obrigatoriamente precisa trocar.

Também sugiro ter parte do seu dinheiro em Soles para pagar táxis, dar gorjetas, comprar souvenires e etc.

Transporte

Cusco é uma cidade relativamente pequena e com muito trânsito. Do aeroporto até o nosso hotel demoramos apenas 15 minutos. Os táxis são muito antigos no Peru e nem um pouco conservado. O transporte público também não é valorizado.

Nós andamos muito bem de UBER no Peru e é o que recomendo. Você paga um pouquinho mais, mas tem conforto e carros adequados.

Nós fomos de táxi para a estação Ollantaytambo como podem conferir aqui, porém, solicitamos que o concierge do hotel exigisse um bom carro. E foi tudo certo.

 

No próximo post vocês vão conferir o que fazer e onde comer em Cusco, com o melhor que a cidade tem para oferecer. Não percam!

2 comentários

  1. Barbara Reis disse:

    Olá, adorei seu post, pois estou pesquisando para fazer essa viagem. Minha dúvida que não encontro em nenhum site é se é possível fazer o trecho Cusco>Aguas Calientes de Uber. Você sabe se é possível? Ajudaria muito!!! Obrigada!

  2. Dieta e Caviar disse:

    Oi Bárbara tudo bem?
    Obrigada pelo retorno.
    Em Cusco, o UBER é um pouco defasado, não é fácil de encontrar e os carros são um pouco despreparados.
    Não sei te responder se daria pra fazer o trecho Cusco – Águas Calientes, por isso, sugiro deixar agendado um táxi na recepção do hotel e negociar o valor.
    Boa viagem e aproveite!
    Beijos,
    Maria Luiza Canedo

Deixe seu Comentário

Posts Relacionados
Machu Picchu
por Dieta e Caviar
Como comentei no post Como ir para Machu Picchu, nós fomos até Águas Calientes de Inca...
Machu Picchu
por Dieta e Caviar
Parque Arqueológico Machu Picchu Existem diversas maneiras de você chegar até Machu...
Instagram Sigam o nosso perfil!